“LE CRI DES FLAMMES” E OS INCÊNDIOS EM PORTUGAL

0
20

A Éditions Vagamundo, editora independente sedeada na Bretanha e coordenada pela poetisa portuguesa Cristina Isabel de Melo, acaba de lançar “Le Cri des Flammes”, à venda nas livrarias de França, Bélgica e Luxemburgo.

Um livro bilingue, português e francês, que combina as fotografias de Pedro Costa Gomes – fotógrafo no Cairo, Egito, para várias agências noticiosas internacionais – aos poemas de Cristina Isabel de Melo.

Uma obra publicada em solidariedade com as vítimas dos incêndios e os bombeiros em Portugal. Por cada livro vendido será revertido 1€ em favor da Liga dos Bombeiros Portugueses e 1€ à Cruz Vermelha Portuguesa. O “Le Cri des flammes”, por outro lado, recebeu o patrocínio do grupo francês Eiffage, da Norscut (concessionária da autoestrada A24 em Portugal), do grupo de advogados Morais Leitão Legal Circle e do grupo internacional Mazars.

“Eu e o Pedro Costa Gomes somos originários de Pindo de Baixo, uma pequena aldeia de Penalva do Castelo, no distrito de Viseu e, de regresso a Portugal para férias nessa altura, descobrimos com espanto a tragédia que tinha ocorrido em Portugal, especialmente na nossa região” explica Cristina Isabel de Melo. “Decidimos então publicar este livro em França com o objetivo de ajudar as vítimas dos incêndios e os bombeiros portugueses e também de sensibilizar o máximo de pessoas em França sobre o caso dos incêndios em Portugal”, continua.

As fotografias, tiradas entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018 por Pedro Costa Gomes “também me serviram de inspiração para a poesia”, confessa Cristina Isabel de Melo.

A Éditions Vagamundo, que celebrará dez anos de existência no próximo mês de novembro, tem neste momento em preparação “um excelente romance francês de Sylvie Camet, ‘La Submersion qui vient’, sobre o tema das cheias em Paris” anuncia Cristina Isabel de Melo, “e uma biografia de Gaston Fauré, que viveu entre 1882 e1949, incluindo a sua obra inédita de poeta e tradutor”, conclui. “Existem outros projetos em preparação, que prefiro não divulgar por agora, para festejarmos os dez anos da editora”.