Venezuela: autoridades obrigam portugueses a baixar preço das bebidas alcoólicas

0
10

As autoridades venezuelanas obrigaram, na sexta-feira, a Prolicor, uma rede de comercialização de bebidas alcoólicas da propriedade de empresários madeirenses, a baixar em 30% os preços dos produtos que distribuem.

A ordem foi dada pela Superintendência para a Defesa dos Direitos Socioeconómicos da Venezuela (Sundde) depois de inspecionar várias lojas da Prolicor.

Na sequência da medida foram registadas grandes filas às portas de estabelecimentos da Prolicor para comprar bebidas alcoólicas, como se fossem bens de primeira necessidade.

A medida, aplaudida pelos beneficiados, foi criticada através das redes sociais, com a chamada de atenção por de que é mais importante comprar alimentos.

A Sundde obrigou, nas últimas semanas, centenas de estabelecimentos de todo o país a baixarem os preços de vários produtos entre eles sapatos e roupa, e até dos bilhetes de autocarro.

Alguns comerciantes queixaram-se, considerando que tal irá resultar em consideráveis perdas, apontando também que receberam bolívares (moeda venezuelana) e que têm que pagar a fornecedores estrangeiros em dólares norte-americanos num país onde vigora um rigoroso sistema de controlo cambial que impede a livre obtenção de moeda estrangeira.