Acesso Rápido

Mais de 200 peças e documentos de 42 instituições de Lisboa, que testemunham 400 anos de tráfico de escravos

Mais de 200 peças e documentos de 42 instituições de Lisboa, que testemunham 400 anos de tráfico de escravos, vão ser expostos a partir de hoje no âmbito da iniciativa Presente – Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017.

“Testemunhos da Escravatura. Memória africana” é o título do projeto da autoria do Gabinete de Estudos Olisiponenses da Câmara Municipal de Lisboa, e é hoje apresentado, às 15:00, no Museu Nacional de Etnologia, na capital portuguesa, que inclui a abertura do ‘site’ testemunhosdaescravatura.pt, uma visita à mostra “Prisão para Escravos” e a inauguração da exposição “Um Museu. Tantas Coleções!”, no Museu Nacional de Arqueologia.

Ao todo, e até final de 2017, vão ser disponibilizados, em mais de quatro dezenas de instituições culturais de Lisboa, duas centenas de peças e documentos, que podem ser vistos, em exposições.

O tráfico, o combate e abolição da escravatura, as questões económicas, as vivências e os quotidianos do escravo, o racismo, a legislação, tradições culturais e religiosas e a iconografia africana são alguns dos temas tratados nas diferentes mostras.

/Lusa