Mondim de Basto quer ser destino “de referência” para o turismo de natureza

42

Mondim de Basto, Vila Real, 14 mar (Lusa) – Mondim de Basto tem em curso dois projetos de 343 mil euros para afirmar o município no turismo de natureza, que incluem a promoção, requalificação de miradouros e criação de percursos de “subidas épicas” para bicicletas.

“O nosso desafio é posicionar Mondim de Basto como destino de referência para o turismo de natureza”, afirmou hoje Humberto Cerqueira, presidente deste município do distrito de Vila Real.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte, Melchior Moreira, disse que o turismo de natureza “já representa 40%” dos visitantes da região Norte e salientou que este é um produto que “permite combater a sazonalidade e aumentar a estada média” neste território.

Neste momento, os turistas ficam uma média de 1.7 noites na região e o objetivo é atingir as três noites de média nacional.

Para a concretização desta estratégia, a autarquia delineou dois projetos, “Mondim, Montanha de Emoções” e “Mondim de Basto, um destino por Natureza”, aprovados no âmbito do Programa Operacional Regional 2020.

O investimento de 343 mil euros, comparticipado em 85%, tem como objetivo criar melhores condições para atrair mais visitantes ao território.

Os principais polos de atração deste município são as maiores quedas de água da Península Ibérica, as Fisgas de Ermelo que se situam no Parque Natural do Alvão (PNA), e a Senhora da Graça, no Monte Farinha, que ficou conhecida em todo o país à boleia da Volta a Portugal em Bicicleta.

Humberto Cerqueira disse que quer potenciar esta ligação ao ciclismo.

Nesse sentido, a candidatura “Mondim, Montanha de Emoções” inclui o projeto “Bike Roads” e a criação de cinco percursos de “subidas épicas”, íngremes e que desafiam os ciclistas a “subir no mais curto espaço de tempo”, bem como a respetiva sinalização e novas aplicações que ajudam os desportistas.

Estes percursos vão terminar nos principais miradouros do concelho, que vão ser alvo de requalificação, com a melhoria dos locais de estacionamento e a criação de melhores condições de visitação.

Este projeto integra ainda a extensão do percurso pedestre das Fisgas de Ermelo.

O programa “Mondim de Basto, um destino por Natureza” visou a promoção da marca e ainda a candidatura das Fisgas de Ermelo a património natural da UNESCO, uma iniciativa que sofreu um percalço já que não foi incluída na lista indicativa de bens portugueses a Património Mundial, Cultural e Natural.

Humberto Cerqueira salientou que o município vai, no entanto, insistir com a candidatura, que está a ser desenvolvida em colaboração com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

Para além das candidaturas já aprovadas, o município está a preparar outros projetos ligados ao setor e que passam por criar novas pistas para a descolagem e aterragem dos adeptos de parapente.

Em Ermelo, será aproveitado um edifício do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) para a criação de um centro de interpretação, estando previsto um investimento de 90 mil euros.

Para o Santuário da Senhora da Graça está também prevista uma intervenção.

Humberto Cerqueira disse ainda que o crescimento do turismo tem alavancado também o investimento privado neste território, onde têm sido criadas várias unidades de alojamento e também operadores turísticos.

Por exemplo, o Água Hotels Mondim de Basto abriu em 2008 depois de um investimento de cinco milhões de euros e está, neste momento, a realizar obras de ampliação de quartos, num investimento de 2,5 milhões de euros.

PLI // JGJ

Lusa/Fim

Comentários estão fechados.