Políticos americanos lusodescendentes em debate em Lisboa

0
10

O congressista Devin Nunes (na foto) e o deputado estadual Tony Cabral participam na próxima segunda-feira, em Lisboa, num debate sobre as eleições presidenciais nos Estados Unidos.

O encontro acontece na sede da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), que promove o debate, e realiza-se a menos de um mês da eleição que vai decidir qual será o 58.º presidente dos Estados Unidos.

“O diálogo entre Devin Nunes e Tony Cabral tem tudo a ver com os principais objetivos da FLAD: promover as relações entre os Estados Unidos e Portugal. Para que existam estas relações é essencial que exista também uma compreensão mútua sobre os respetivos processos democrático”, disse à Lusa o presidente da FLAD, Vasco Rato.

O responsável lembrou o trabalho que a fundação tem feito a este nível, realizando o “Luso-American Legislators’ Dialogue”, uma iniciativa que aconteceu este ano pela segunda vez, e que pretende aproximar estes políticos americanos da realidade portuguesa.

“Este caminho comum está a ser institucionalizado e vai agora prosseguir com este diálogo aberto entre o Republicano Devin Nunes e o Democrata Tony Cabral sobre as eleições presidenciais americanas”, explicou Vasco Rato.

Devin Nunes, 43 anos, um congressista republicano eleito pelo estado da Califórnia, é neste momento presidente do comité dos Serviços de Informação da Câmara dos Representantes.

Eleito pelo mesmo distrito desde 2003, foi distinguido pela revista Time em 2010 como um dos 40 líderes com menos de 40 anos mais poderosos.

Tony Cabral, 61 anos, é deputado estadual em Massachusetts desde 1990, tendo já presidido a diversos comités.

Este ano, foi um dos delegados que elegeu Hillary Clinton como a candidata presidencial dos democratas durante a convenção nacional do partido.

Além de Nunes e Cabral, existem dezenas de políticos luso-descendentes que ocupam diferentes cargos da administração pública dos EUA em todos os estados.

A FLAD, explica o seu presidente, tem trabalhado para que esta rede de representantes possa ser um elo de ligação entre os dois países.

“Gostaria de salientar o trabalho notável que tem sido feito por parte dos representantes luso-americanos em prol da aproximação entre Portugal e Estados Unidos. Aproximação que, neste caso, significa mais desenvolvimento para Portugal”, disse Vasco Rato.

Fonte/BD